Pergunte-me: 7 respostas para as dúvidas mais comuns sobre investimento em imóveis

O Clube Imóvel respondeu suas principais dúvidas sobre investimento em imóveis para você começar agora seu império imobiliário. Confira!

Compartilhe:

Um estudo da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), aponta que o perfil de investimento do brasileiro é conservador e prefere apostar o seu dinheiro em aplicações que lhe dão a sensação de segurança. Dessa forma, investir em imóveis sempre foi uma das opções mais escolhidas da população, principalmente com a valorização acelerada de imóveis devido aos eventos internacionais que o país sediou nos últimos anos.

 

No entanto, uma série de dificuldades econômicas e a instabilidade política no Brasil contribuíram para afetar a produtividade do setor nos últimos dois anos. A boa notícia é que o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) aponta melhoras para o cenário este ano, principalmente no segundo semestre, quando há mais oportunidades de trabalho abertas e mais capital girando. Com a diminuição nas taxas de juros e estabilização dos preços,  o momento está propício para investir novamente no setor.

Tire suas principais dúvidas sobre investimentos em imóveis

1 – Ainda vale a pena investir em imóveis?

O principal receio para apostar neste segmento está relacionado à situação econômica instável do país aliada a fatores particulares de cada região como apelo turístico, políticas internas, obras de infraestrutura, entre outros. A indefinição do Plano Diretor da grande Florianópolis levou à queda dos preços nos últimos anos.

 

Apesar do momento ainda incerto, já é possível observar melhoras de acordo com dados recentes do IBGE. O setor de Balneário Camboriú, Jurerê Internacional e Bombinhas não sentiram tanto o impacto da crise econômica e, portanto, os preços não oscilaram muito. O ano de 2017 tem apresentado queda nos juros, tornando mais fácil a compra de patrimônio.

 

O investimento imobiliário é considerado seguro, mesmo sendo afetado por fatores de mercado como demanda, valorização do local e preço no mercado que segue o modelo cíclico. Portanto, mesmo ocorrendo uma baixa, é provável que volte a subir. Seja para adquirir imóvel para residência, que pode valorizar com o tempo, seja para locação, recebendo uma renda fixa mensal, este investimento de alta durabilidade representa a construção de seu patrimônio.

2 – Compensa mais ficar na poupança?

Em termos de rentabilidade, o investimento imobiliário continua melhor que a aplicação na poupança. Em simulação feita pelo site InfoMoney, ao adquirir um imóvel de R$300.000,00 e alugá-lo por R$1.200,00 já sem impostos, o rendimento anual será de 4,08%.

 

Em 2016, a poupança rendeu 8,3%, porém, descontada a inflação, fechada em 6,29 pontos percentuais, o ganho real por apenas de 2,01%. Ou seja, investir em imóveis pode gerar, no mínimo, rentabilidade duas vezes maior do que a poupança.

3 – Quais os riscos desse investimentos?

Apesar de considerado seguro, investir em imóveis também pode  envolver riscos como qualquer outro tipo de aplicação. Afinal, não é possível controlar fatores externos que afetam a economia e setor. Com o estudo e as avaliações corretas, é possível fazer as melhores escolhas para se prevenir de baixas. Portanto, no momento da compra do imóvel fique atento à localização a fatores como o tipo de imóvel, as condições de pagamento, os juros, valor de revenda, entre outros.

4 – Como escolher um bom imóvel?

Antes de tudo é preciso definir a finalidade deste investimento. De acordo com cada objetivo, deve-se levar em consideração pontos diferentes no momento da compra. Caso você queira investir em imóveis para ter renda fixa com aluguéis, fique atento para deixá-lo atrativo à perfis determinados. Se o patrimônio for em locais próximos de universidades, por exemplo, pense nas características que este público procura e invista nisso para aumentar a gama de interessados. Se você investe para ter retorno financeiro mais rápido com revenda, dê atenção para a localização privilegiada e padrões dentro do procurado no mercado.Independente da finalidade, é preciso ter em mente que alguns gastos poderão ser necessários, como reformas e pequenos consertos, que valorizam o imóvel.

5 – Qual melhor tipo de imóvel para começar a investir: na planta, novo ou usado?

Para decidir qual imóvel apostar, defina suas metas financeiras: quanto de dinheiro tem disponível para investir e em quanto tempo quer o retorno financeiro. A partir disso, sua decisão fica mais fácil.

  • Imóveis na planta são indicados para aqueles que não tem pressa para ver o valor revertido, por exemplo. Nesta opção, você pode parcelar o pagamento ao longo da construção e tem a possibilidade de oferecer o patrimônio, seja para revenda ou aluguel, de primeira mão.
  • Já o imóvel novo  é indicado para aqueles que possuem quantia considerável para aplicar, pois pode conseguir descontos na compra, apesar de ser possível fazer financiamento também.
  • Por fim, comprar  patrimônio usado é indicado para quem quer retorno mais rápido com revenda.

6 -Como administrar imóveis?

Anunciar, atender telefone, marcar visitas, gerir seu tempo para realizar trabalho em campo, negociar, assinar contrato, garantir pagamento em dia… A administração de imóveis, tanto para venda quanto revenda, demanda espaço na agenda, disposição e organização. É imprescindível ter controle dos estágios de venda dos imóveis de sua carteira para garantir que o bom negócio prevaleça.

Assim, caso você não tenha tempo ou disposição para cuidar de todas as responsabilidades do seu investimento em imóveis, contratar um corretor ou uma imobiliária para vender ou alugar seu patrimônio é a melhor opção. Este profissional tem acesso a ferramentas específicas para gerenciar e anunciar seu imóvel – como o Clube Imóvel.

7 – É preciso ser rico para começar a investir neste ramo?

Não é preciso muito dinheiro para iniciar uma jornada no mundo de investimento em imóveis. Aliás, este pode ser apenas o começo para uma vida mais confortável. Se o valor de casa ou apartamento ainda não cabe no bolso, aposte em terrenos de loteamento, por exemplo. Nestas áreas, o desenvolvimento de infraestrutura local, construções residenciais e comerciais vão aumentar seu preço de mercado. É possível encontrar áreas por menos de R$50.000,00 com pagamento facilitado em Santa Catarina.
Após suas dúvidas solucionadas, não perca tempo para começar seu império imobiliário. Acesse a plataforma do Clube Imóvel e encontre o patrimônio perfeito para seus sonhos.

Compartilhe:

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *